07 dezembro 2005

Beleza...

Ser uma coisa é ser objecto de uma atribuição. Pode ser falso dizer que uma árvore sente, que um rio corre, que um poente é magoado ou o mar calmo (azul pelo céu que não tem) é sorridente (pelo sol que lhe está fora). Mas igual erro é atribuir beleza a qualquer coisa. Igual erro é atribuir cor, forma, porventura até ser, a qualquer coisa. Este mar é água salgada. Este poente é começar a faltar a luz do sol nesta latitude e longitude. Tudo vem de fora e a mesma alma humana não é porventura mais que o raio de sol que brilha?

2 comentários:

Passarinha disse...

tudo oq é exteriro pode ser uma imagem da nossa alma! :-)

bjs

Anónimo disse...

Tanto erro.... Nem tudo vem de fora... Escreves melhor que nunca!

Ocorreu um erro neste dispositivo