30 novembro 2011

Ser...

Quando as minhas mãos encontram o teu corpo a paisagem muda como por magia, as cores multiplicam-se o tempo respira devagarinho e a luz sem pedir licença invade o nosso espaço… estávamos perdidas lado a lado escutando o silêncio que relatava o nosso momento de paz, a minha mão deslizava pelo teu rosto suave dominado pelo teu olhar brilhante e sedutor…


ser feliz custa tão pouco...

17 novembro 2011

Voltando...


...a noite traz paz ao meu coração...ouvindo-a, fico sossegado e dou a mim própria a minha própria mão...segurando-me para não a possuir...para ficar aqui e não ir...

...senti-la apenas num, pequeno que seja, luxuriante som...

...ouvindo a noite, parto para o êxtase do meu ser, não pretendendo ver, apenas ouvi-la...

...dentro de mim, a bater...

Ocorreu um erro neste dispositivo