31 janeiro 2010

Igualdade...


Por quanto tempo podemos viver assim, vagueando pelo deserto de paisagens afectivas pessoais escondidas do mundo?

Os tempos mudam e precisamos de mudar com eles…

Precisamos parar de fugir, de viver nas sombras, temos que ser mais fortes, mais audazes…

O problema porém é que... há poucos de nós capazes de se revelar e opor resistência a dogmas e tradições…

Mas o nosso destino é sermos grandes, por isso precisamos de aumentar a nossa coragem para que os mais novos não tenham o mesmo fardo com que nascemos.

Vagueámos como nómadas merecendo uma casa numa terra prometida.

Hoje aleitando raízes e construindo uma vida deixamos de ser apenas uma comunidade… vivemos livres… e no final de cada dia e em cada regresso, não vaguearemos mais…

Estaremos, finalmente... em casa… nesta planeta que é de todos.

13 janeiro 2010

Momentos...

Há um momento em cada caminho, onde tudo se muda, um momento quando o caminho se une a algo, assim como as alianças em linhas de batalha que mudam de lado, e as normas de compromisso são reformadas.

São esses momentos que podem mudar a natureza da batalha e mudam as coisas para um dos lados. Quando isso acontece, fazemos o que podemos, para entendê-los. Tentamos ao máximo estar prontas para às mudanças, fortificamos os nossos corações, contemos os nossos medos, juntamos as nossas forças, e procuramos por sinais nas estrelas.

Mas o que motiva essas mudanças no caminho... permanece um mistério, é quase como o destino da mão invisível, que move as peças no tabuleiro da vida.

Não importa o quanto nos preparamos para elas, o quanto resistimos às mudanças, antecipamos o momento, lutamos pelo resultado inevitável.

No final, nunca estamos realmente preparados, quando isso se defronta.

Ocorreu um erro neste dispositivo