23 outubro 2006

Suavemente....

Aprendi a amar em silêncio... na profunda imensidade da vazio e a cada lágrima dos meus pensamentos... na angústia da vontade perdida e na dor que se veste o meu segredo... desde a ideia de fogo e antes do primeiro riso e da primeira mágoa... assim vou aprendendo a amar em silêncio... suavemente...

13 outubro 2006

Pensamentos confusos...

Eis-me a pensar enquanto a noite envolve a terra, olhos poisados na ausência e a pena amiga em repouso... no alto uma estrela triste, as pálpebras descerram lançando o claro olhar piedoso tornando a noite de calma e repouso... a minha alma abandona-se ao sabor dos enganos, cheia de dor, e a dor cheia de alma antegozando já quimeras pressentidas que mais tarde hão-de vir com o correr do tempo...

05 outubro 2006

Até quando...

Até quando terá a minha alma, esta doçura, este dom de sofrer, este poder de amar, esta força de viver, este medo de morrer, esta forma de sonhar, esta vontade de seguir segura como a flecha que segue a trajectória obscura e fiel ao seu movimento...
Até quando?
Ocorreu um erro neste dispositivo