21 maio 2014

Tenho dias...


Nesta tarde imprópria deslocada do tempo real, a chuva é insistente e assustadoramente fria…
voam os pensamentos, haverá algo mais incómodo que o amor…
talvez a habituação a sua ausência…
Que sei eu da vida… do amor… da felicidade… do mundo…
A vida…
caminhos paralelos que embora traçados inesperadamente sofrem de uma rotineira lentidão que magoa…
O Amor…
é sempre surpresa e tantas vezes arrependimento, mas deixa sempre marcas profundas que nos cobrem o olhar…
A felicidade…
simples virgulas que separam a tristeza…
O mundo…
o real companheiro de todos os sorrisos forçados…
Começo a acalmar e a morrer aos poucos desta ânsia de tudo ser e tudo querer…
Já não me conheço e sinto que me perdi em algum recanto desta existência sem sentido…
Um dia o sol não nascerá, será esse o momento de paz?

17 maio 2014

Saudade...


Quando chega a hora dos mágicos cansaços,
entrego-me nos braços da saudade  e toda a noite sonho...
                  e vagamente acordo...
os lábios finos abrem-se num tremor e os meus  olhos tristes sorriem...

tenho a alma toda envolvida na carícia dorida duma saudade...
Ocorreu um erro neste dispositivo