28 outubro 2015

Noite...

Vai chegando lenta a noite e o sentido deste dia esvaziando-se pelas sombras da lua...
Esta tranquilidade consegue esvaziar-me de todos os objectivos por concretizar traçados para este dia...
nestes momentos fico com pouco para dizer, será por indiferença ou será isto não saber ser feliz?...


Não estou cansada, nem confusa, nem com sono, apenas absorta de tudo e a tudo; às horas, ao barulho, aos compromissos e à vida...

25 outubro 2015

A vida...

A vida é isto... medo, raiva, desejo, amor.
Parar de sentir emoções, parar de querer senti-las...
é como, sentir a morte.
a vida e a morte estão sempre misturadas,
da mesma maneira que alguns começos são fins...
e alguns fins tornam-se começos.
De que outra forma poderia ser?
Eu apanho tudo o que estou a sentir.
Tudo o que me importa.
Guardo isso tudo no meu punho.

E luto por isso…
Ocorreu um erro neste dispositivo