19 abril 2006

E...

E se a vida não deixa rasto?
Ficamos com a sensação que passou rápido e desapareceu, como os sonhos de amor e glória, a vida, ela própria, ilusão alada, voa como as borboletas...
Eis chegado o tempo vazio de projectos, apenas deixar que a vida aconteça, como acontece a alvorada, o dia, a noite e a madrugada...
Em breve o silêncio ira tomar conta do meu olhar, e nesse instante não chores por mim, dá-me antes o sorriso, talvez assim brilhe uma estrela...

09 abril 2006

Certezas...

Sinto que tudo posso pelo tamanho deste amor que me alimenta, me adorna de mil e uma estrelas cintilantes, puras e felizes por não se perderem num céu indiferente… a torre alta em que moro, tem uma longínqua imagem… distingo ao longe duas sombras… uma chora lágrimas frias, tão geladas que não conseguiria suportá-las no rosto… a outra sombra, essa acaricia e afaga os cabelos despenteados pela aragem agreste das saudades…
as saudades… principio da certeza que em mim mora…
é contigo que para sempre quero ficar…
Ocorreu um erro neste dispositivo