28 outubro 2015

Noite...

Vai chegando lenta a noite e o sentido deste dia esvaziando-se pelas sombras da lua...
Esta tranquilidade consegue esvaziar-me de todos os objectivos por concretizar traçados para este dia...
nestes momentos fico com pouco para dizer, será por indiferença ou será isto não saber ser feliz?...


Não estou cansada, nem confusa, nem com sono, apenas absorta de tudo e a tudo; às horas, ao barulho, aos compromissos e à vida...

25 outubro 2015

A vida...

A vida é isto... medo, raiva, desejo, amor.
Parar de sentir emoções, parar de querer senti-las...
é como, sentir a morte.
a vida e a morte estão sempre misturadas,
da mesma maneira que alguns começos são fins...
e alguns fins tornam-se começos.
De que outra forma poderia ser?
Eu apanho tudo o que estou a sentir.
Tudo o que me importa.
Guardo isso tudo no meu punho.

E luto por isso…

19 agosto 2015

Dias assim...

Hoje é dia de ficar triste… amanhã logo se verá…

A vida ensinou-me que há pessoas de verdade e pessoas de mentira. A vida também me ensina agora que as pessoas de mentira quase sempre vencem as pessoas de verdade. Não sei se estou triste por ser uma pessoa de verdade, ou se por não conseguir ser uma pessoa de mentira.
Seria certo sofrer desilusões com pessoas de mentira, mas como é possível sofrer desilusões com pessoas de verdade?
Algumas pessoas podem achar que a realidade pode ser apresentada melhor se fantasiada um pouco, e aí a mentira é quase inocente, mais assemelha-se a um desejo ou a um sonho, e não se deve subjugar o valor destas pessoas por isso. Mas será que podemos dizer que a mentira é como uma pele seca, que uma vez descoberta, deve apenas ser deitada fora?
Não será isso ensinar o caminho do céu enquanto percorremos cegamente, o caminho para o inferno?

Hoje é dia de ficar triste… amanhã logo se verá…

12 abril 2015

De quem...

Eis-me a pensar enquanto a noite envolve a terra, olhos poisados na ausência. No alto uma estrela triste, as pálpebras descerra lançando noite dentro o claro olhar piedoso tornando o momento calmo e repousante.
A minha alma abandona-se ao sabor dos enganos, cheia de dor, antegozando já quimeras pressentidas que mais tarde hão-de vir com o correr do tempo.
Mas de quem é esta saudade que meus silêncios invadem, que de tão longe me vem?

De quem é esta saudade, de quem?
Daquelas mãos só caricias…
daqueles olhos de apelo…
daqueles lábios de desejo…
e estes dedos engelhados?
e este olhar de vã procura?
e esta boca sem um beijo?
De quem é esta saudade que sinto quando me vejo…

08 fevereiro 2015

Verdade...

Onde estão as pessoas de verdade?
A realidade é que todos nós usamos máscaras, todos os dias, todas as horas e todos os minutos…
Por vezes nós as usamos tantas vezes que esquecemos de quem realmente somos.
Mas… às vezes… às vezes... se tivermos sorte…
alguém aparece e nos mostra quem realmente somos e quem queremos ser...

e depois?
depois é o momento de descobrir a coragem cá dentro, respirar fundo, erguer o olhar e seguir em frente…

24 janeiro 2015

Futuro...

Mas afinal quando é que o futuro acontece?
Agora?
Amanhã?
Será um dia qualquer ou um outro dia e nem sei onde vou estar...
Tenho medo...
Sim também tenho medo... pergunto-me... e se aquele caminho acaba?
Se acabar, acabou, não vou controlar nenhum falso medo tão inocente como o desígnio imortal das nossas almas...
Nem me vou imaginar a tropeçar, a cair, vítima da minha própria gravidade, das minhas dúvidas e da tentativa de esquecer determinados pressupostos.

Opto por continuar e confiar que conseguirei fazer crescer em mim a esperança de um dia melhor e que nesses instantes eu sinta que tudo é possível...

06 janeiro 2015

hoje...

Hoje sou noite depois de ver o sol cair de mansinho, de um céu de azul seda salpicado de sombras que deram lugar às estrelas onde a lua se derrete em prata…
Hoje sou sonho e danço sob essas mesmas estrelas perdida no silêncio dos teus braços ao som da nossa própria melodia…
Hoje sou criança e procuro na espessura das nuvens um qualquer sinal do futuro…
Hoje sou eu e sou tu enquanto nos confundimos nos contornos de uma estrofe de poesia…
Ocorreu um erro neste dispositivo