15 setembro 2013

silêncio

O silêncio reina nesta noite, o cansaço também mas eu resisto impulsionada pela luz que entra da janela, vem da lua que se espreguiça num céu pejado de estrelas.
Poderia pegar na caneta cheia de finos contornos mas em vez disso sento-me uma vez mais de frente para esta página em branco reluzente e desejosa de sentir os meus sinais….

Divago…
Escrevo e sinto que espero um sinal teu, esta vã vontade de que em algum lugar ainda não me esqueceste…
Sempre fui demasiado irracional, pergunto-me se não me terei esquecido de crescer? 
Ouso ainda assim desfolhar as memórias e sinto por momentos atingir-me a alegria despreocupada, o esboço de alguém ainda imune ao ataque da idade e do tempo…. Ai que vontade de aí me refugiar e não mais pensar no que sinto e no que será o futuro…
Talvez esta noite sonhe que me perdi num deserto…
Talvez esta noite encontre o fantasma do teu rosto…

Talvez esta noite…

Ocorreu um erro neste dispositivo