30 janeiro 2009

Canto...



Ter um amor, é um bem tão grande, que aquele que ama a todo o instante receia perdê-lo, que frágil e muitas vezes que breve é o amor...



Gostava de conseguir fazer um canto da noite, um canto à noite, conseguir invocar com palavras mágicas e envolventes a lua... e depois poder dizer-lhe... vem com o teu silêncio, com o teu mistério, com a tua calma...


Sim eu sei, sentes as gotas de água salgada no meu rosto... não... não é da chuva, são mesmo lágrimas... sabes as vezes são a voz mais clara do nosso sofrer, mas curiosamente é nelas que o sofrimento por vezes se dilui, por isso sempre que me vires chorar, não te inquietes porque o meu chorar é doce, é como uma porta que se abre para uma promessa de felicidade...
Se vivêssemos para sempre, não acharíamos que o tempo de viver é pouco para realizarmos tudo o que está ao nosso alcance?...


Que tudo na vida seja a nossa missão única, somente encontrar a nossa paz, o nosso destino, o nosso amor, o nosso canto...

Sem comentários:

Ocorreu um erro neste dispositivo