08 outubro 2008

Perdida...

Anseio todo o momento pela suavidade desta hora em que nos foge o dia e que a lua ora aberta em todo o seu esplendor ora encolhida por alguma dor vai abrindo o espaço a noite…
Sinto murmurar dentro de mim uma harmonia suave, umas vezes profunda e grave outras vezes meiga e cadente outras ainda que me faz chorar… és tu meu anjo quem me faz chorar, tu meu anjo de solidão… não te importes com as minhas lágrimas vem juntar-te junto a mim, mas rasga os teus versos pois não quero sentir as tuas palavras gravadas de saudade, o teu triste gemido de adeus, deixa-me expirar como uma nota quebrada do teu canto… Faz renascer em mim a poesia da felicidade que murmura levemente na minha alma…

Sem comentários:

Ocorreu um erro neste dispositivo