02 fevereiro 2008

Entrega...

Imagem em www.bebo.com


Num requinte soturno, rejeitas o meu presente… Entregue em bandeja de ouro, com todos os segredos que guardava.
Desdenhado por ventres alheios, famintos deste sentir … Lampejos de um ardor intenso que me consumia na chama desse paraíso que findou…

Teu sopro, é agora o mais ténue chamamento… Escondeste nesse recanto por ti criado onde nem sempre me é permitido entrar. Sou folha amarela em tempo de Outono nesse teu tronco adormecido…

Por onde andarás, minha perdição?
Teu corpo permanece a meu lado… Tua alma…?

Deixa-me senti-la e traz contigo o requintado presente que te dei…

Sem comentários:

Ocorreu um erro neste dispositivo