19 janeiro 2014

tempo...

já reparaste como está o tempo?
o azul límpido do céu esconde-se no branco cinzento das nuvens...
sabes, as vezes penso que as nuvens são como gente e que agora para elas é tempo de saudade...
ou então estão de regresso para a sua amada terra, e quando se espalham pelo céu, estão somente a tentar um abraço terno no seu amor.
como eu gosto dela...
da sua beleza, da sua verdadeira beleza porque é recatada...

e o amor, o amor que lhe tenho, de tão grande que é, as vezes fica guardado no coração de quem a quer amar a vida inteira…

Sem comentários:

Ocorreu um erro neste dispositivo