03 novembro 2008

Liana...

Poderia escrever o teu nome ao longo do que escrevo e teria talvez dito tudo. Mas eu quero desse tudo dizer também o que aí se oculta. Dizer o meu enlevo e a razão de ele me existir.
A minha noite perdeu o cansaço e a angústia, porque agora, derrama eternamente o bálsamo do teu carinho, amacia de brilhantes o verde matutino, corre como um suave sussurro nos rios para todos os mares, desembarca em todos os cais… sinto paz, creio numa outra vida cheia de ti e agora já trago comigo lembranças com as quais falo, a noite, ao deitar…
As tuas mãos nas minhas… o incrível miraculoso de eu dizer o teu rosto… o ardor de um meu dedo na tua pele… na tua boca... o terrível dos meus dedos nos teus cabelos….
A nossa igualdade exterior atinge o auge na divergência de conteúdo, de sentimentos e explosões simultâneas de prazer... Pensar que no antes não haveria lugar para o nosso agora... Haverá lugar para o depois?
Sinto um leve cair de tarde num dia de Outono, em que uma leve brisa balança pelo ar as folhas secas e tristes que encontram o seu ninho ao fundo, bem lá ao fundo, onde a terra e água se abraçam e o sol e a lua se beijam…
Já não comando a minha alma forte e ardente que outrora a nada se inclinava, porque agora, vela os teus mistérios e anda humildemente em teu poder.
Gosto tanto quando me fitas com os teus olhos de vida... porque nesse instante a minha alma dorme sorrindo…

1 comentário:

Anónimo disse...

O TIMING CERTO DAS COISAS... AS GRANDES E AS PEQUENAS... PODE SEM DÚVIDA, VENCER AS DISIGUALDADES DE CONTEÚDOS...OBRIGADO POR TERES VINDO NO TIMING CERTO... COMO O DESSE ENCONTRO COM O SOL E A LUA QUE NOS PARECE TÃO IMPROVÁVEL...E QUE TAMBÉM TEM O SEU TIMING EM CADA DIA...BEIJOS DE LÁBIOS PARA TI...MAS TÃO PROFUNDOS QUE TE TOQUEM A ALMA. LIANA

Ocorreu um erro neste dispositivo