28 novembro 2005

A ferro e fogo...

Desisto quando largo as rédeas do meu destino e rasuro o rascunho da minha vida…
Devasto todos os planos meticulosamente delineados e entrego-me à sorte esperando um desfecho milagroso…
Nada quero com os factos e sorrio das lógicas preconcebidas…
Liberto-me de todos os cadeados invisíveis padronizados por escolhas e caminhos…
Porque não me basta o que tenho ao alcance das mãos?
Porque teimo em abrir, orgulhosa, todos os caminhos que sigo, de coração aberto ao mundo, cheia de sonhos que não passam de miragens?
Porque sei que um dia cruzarei aquela soleira e estarei enfim onde pertenço…

3 comentários:

JL disse...

Adorei. E não consigo dizer mais nada!

Red Angel disse...

um dia.....
esse dia vem a caminho...acredita que sim
adorei...fika bem***

grilo falante disse...

A ferro e fogo, em carne viva, porque só assim a vida merece ser vivida.

Ocorreu um erro neste dispositivo