21 fevereiro 2009

... Memórias...


De todos aqueles que por ali passam, num auge de plenitude de viver cada retalho monumental da natureza…


De todos aqueles que por ali pousaram os seus olhares, quiçá oprimidos ou reprimidos, repletos de cumplicidade ou nostalgia…


De todos aqueles que por ali reviveram memórias ou desbravaram aventuras…


De todos aqueles que por ali passaram… Quantas almas repousaram nos braços bravios da natureza…


Se por um só momento libertam as libertinas amarras em que vivem em escravidão, toda a multidão viverá em eterna comunhão… Mas quão ambíguos, egoístas, promíscuos e desordeiros será cada um daqueles seres que por ali passaram…
Nem tu, nem eu, nem a multidão viverá desses retalhos… Suprimimos cada pedaço que renasce em nós de um ser melhor e mergulhamos na imensa auto-contaminação de nós mesmos… Pois tudo findará e apenas restarão memórias desfocadas e lembradas com um sorriso…
E tudo se perde… Por um só momento seguinte…


Cada etapa… Um enclausuramento de nós em nós…


Um dia, tudo será… Apenas memórias…

Sem comentários:

Ocorreu um erro neste dispositivo