24 janeiro 2015

Futuro...

Mas afinal quando é que o futuro acontece?
Agora?
Amanhã?
Será um dia qualquer ou um outro dia e nem sei onde vou estar...
Tenho medo...
Sim também tenho medo... pergunto-me... e se aquele caminho acaba?
Se acabar, acabou, não vou controlar nenhum falso medo tão inocente como o desígnio imortal das nossas almas...
Nem me vou imaginar a tropeçar, a cair, vítima da minha própria gravidade, das minhas dúvidas e da tentativa de esquecer determinados pressupostos.

Opto por continuar e confiar que conseguirei fazer crescer em mim a esperança de um dia melhor e que nesses instantes eu sinta que tudo é possível...

Sem comentários:

Ocorreu um erro neste dispositivo