25 março 2008

O tempo...


… São falsas as esperanças que me assombram e, tal como o vento leva as palavras que escrevo, também o tempo levou o teu sentimento…
Ainda assim, jaz em mim esse querer louco e cego… Sentir que o passado é ainda presente é o que resta destes dias que se arrastam cruelmente, com passadas curtas e sombrias que caprichosamente me fazem cair no desequilíbrio que há muito não sentia…

Tal como o vento suavemente restabelece a forma original desse extenso areal, desejo somente que o tempo em mim tenha semelhante efeito… As marcas permanecerão, mas como intensas lembranças do vivido, mas (infelizmente) passado…

Sem comentários:

Ocorreu um erro neste dispositivo