11 março 2008

Momento...


Junta-se a cada momento, uma lacuna, um vazio que se alastra por vales escuros que nascem e findam em mim…
Um café, um cigarro e um jornal… Companhia da solidão que me acompanha neste meu viver subjugado ao passado.
É ainda, nesse véu cinzento que me cobre, onde serenamente caio no desleixo de um pranto que me afecta a alma… E no recobro de cada momento renasço para mais uns minutos de escuridão…
Oh alma minha, cruel companheira, que me fintas em cada crepúsculo…
E nesses últimos vestígios de luz, num desespero infinito, procuro em mim espasmos da juventude que findou, da serenidade que abandonou este ínfimo ser de um mundo perdido…

É inverno… E a primavera, eterna fugitiva… Permanece longe do meu alcance…

Cada momento… Uma tortura íntima… De alguém…

4 comentários:

Anónimo disse...

O jornal qke le e dos piores senao a pior michordia , e lido pela gentalha a espera so de desgracas! FUMAR? ja nao se usa prima da asco, bem podes ir esperando.

Anónimo disse...

Pelo menos lê o jornal. Ao contrário do Sr Anónimo que nem escrever bem sabe... E que nem educação tem uma vez que tece comentários tão desagradáveis...
Enfim... É um daqueles comentários a ser removido...
Fique bem, Sr Anónimo.

Lili

(P.S. - Beijos às meninas que escrevem)

LivrementeOculta disse...

Pois e por ser anónimo tb é cobarde..
Beijo e continua..Sempre de cabeça levantada com o espirito aberto;)

LivrementeOculta disse...

Pois e por ser anónimo tb é cobarde..
Beijo e continua..Sempre de cabeça levantada com o espirito aberto;)

Ocorreu um erro neste dispositivo