03 maio 2008

Recantos...


Por vezes passamos sem olhar, sem dar importância aos pequenos pormenores, até que um dia pisamos o mesmo caminho e reparamos nesses (in)significantes recantos que outrora o nosso olhar não guardou… Talvez por isso, nesta nova fase, retomando um percurso que de todo não me é estranho, guardo agora pequenos momentos, fracções de tempo outrora irrelevantes que se vão mostrando novos horizontes em cada dia…

Assim como em cada paisagem nova que paira sobre o nosso olhar, deixemos repousar cada irregularidade, cada contorno, cada limite visível, quem sabe nessas recordações que ficam haverá um dia a corrente robusta para nos içar daquele fundo obscuro…

Cada percurso, no seu tempo… Há coisas que permanecem, outras que fluem no ar como as pétalas frágeis em tempo de caducidade…

Sem comentários:

Ocorreu um erro neste dispositivo