14 fevereiro 2006

Leva-me...

Leva-me contigo ao partires
inventa-me uma alma nova,
dá-me a tua mão firme e suave,
ilude-me, se quiseres,
Antígona, diana, Juno ou vénus...
Ainda que sejas só um sonho,
Nas noites de insónia, fictícias,
troquemos abraços e carícias,
imaginemos esta vida noutra esfera,
guardemos para nós esta quimera!
Onde quer que te encontres, neste instante,
não te esquecerei! ficarei à espera
ainda que seja só um sonho cintilante...

Só por hoje o sonho... amanhã voltarei à vida...

1 comentário:

Terreiro disse...

Lindo … e estranho ao mesmo tempo … a tua escrita “fala” para mim, com sentimento, com vontade de romper a barreira do socialmente correcto.
A vontade de te ler vai continuar, “onde quer que te encontres”, vais sentir isso … Gostei!

Abraços

Ocorreu um erro neste dispositivo