19 janeiro 2016

Tempo...

Quando estamos felizes, parece sempre que o tempo não tem passado nem futuro, que não existe nem tem limitações. Neste tempo sentimos o desejo de o fazer parar, alcançar um apogeu que nos proteja do tempo futuro. De um modo que não compreendemos, sabemos que o poder do tempo depende em certa medida de algo que existe nas nossas mentes. Mas o que é que possa ser esse algo, é coisa que não sabemos, sim como não sabemos o modo de o alcançar intencionalmente.

A temporalidade do amor permanece como um puro dom, uma graça pura. O tempo é demasiado real, demasiado precioso, e as vezes nem imaginamos como temos muito pouco tempo…

Sem comentários:

Ocorreu um erro neste dispositivo