08 outubro 2013


Ciclicamente, ouço dentro de mim uma voz a rugir baixinho sobre lugares escuros e secretos… 

é como que um momento que se repete, tal como todos os anos na lua das folhas que caem,

sonhamos com a voz do sonho que dentro de nós se silenciou e que nos permitirá de novo acordar para o mundo 

mas por vezes o Inverno vem outra vez 

e depois nova primavera e no entanto continua longe… 

mas nunca renuncio, e é assim, que todas as noites olho para o por do sol 
e tento retirar a ultima réstia de calor 

do seu longo dia para alimentar esta esperança de ser…

Sem comentários:

Ocorreu um erro neste dispositivo