31 março 2009

Hoje...

Estranho-me quando sinto esta tranquilidade na minha consciência mas a verdade é que não há melhor sensação nesta vida que a paz interior… será por isso que a vida é tão efémera…
Não vou falar de felicidade ou da sensação de realização plena que o mundo inteiro apregoa como a busca máxima de uma existência…. O que eu penso é algo simples mas de uma simplicidade que incomoda… chega até a ser estúpida…
Porquê dizer amar em vez de gostar? Porquê dizer adeus em vez de até breve?
É nestas enormes diferenças de palavras que se criam sombras que nos perseguem vida fora… hoje uma dúvida, amanhã uma questão… e a não certeza dura… alonga-se… arrasta-se lentamente cobrindo toda a nossa existência, assim tão lentamente como quando a noite invade a luz do dia…
Gostava por vezes de possuir a capacidade de me trivializar, de me banalizar um pouco e ceder ao movimento irracional… no entanto o meu coração é um vasto cemitério e o peso na consciência a corda que me irá enforcar….
Ensinaram-me o eterno presente… e eu… acreditei…

2 comentários:

g disse...

Passei aqui para te dizer até breve e não adeus!

g disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Ocorreu um erro neste dispositivo